50 | Psicopatas na literatura


Baixar MP3Baixar ZIPAssinar o Feed

 

Neste episódio, Rafael Franças (@literariocast), Anna Schermak (@annaschermak), Larissa Siriani (@LarissaSiriani) e Pâmela  Fardin (@pamfardin) bateram um papo sobre as características e sintomas da psicopatia além de destacarem os psicopatas mais emblemáticos da literatura.

 

Não deixe de conferir

 

Visitem as redes sociais da convidada

Artigo utilizado como referência

Programa comentado da leitura de e-mails

WeCast no Android

Pausa Para um Café

Obras comentadas

Dica da Vez

 

Acompanhe os próximos programas

Assine o LiterárioCast no iTuneshttp://itunes.literariocast.com/

Curta nossa Fan Pagewww.facebook.com/literariocast

Nos siga no Twitterhttps://twitter.com/literariocast

Nos siga no Google+https://google.com/+LiterariocastPodcast/

Para críticas e/ou sugestões envie e-mails para: literariocast@pausaparaumcafe.com.br

Feed do LiterárioCasthttp://feeds.feedburner.com/literariocast

Visite nossa página no YouTuner.

Visite nossa página no PodFlix.

  • Nicolas Ueda – 20 anos – Curitiba/PR

    Hello Doctor Lecter, quer dizer, galera do Literáriocast. Eu aqui de novo. 🙂

    Gostei bastante do episódio de psicopatas, bastante mesmo. É um tema que gosto, muito pela grande gama de boas obras que ele possui. Mas sempre acho melhor ter um auto-controle ao consumir histórias de serial killers e afins, pra não encher a cabeça com pensamentos negativos demais.

    Gostei bastante que vocês tenham trazido à tona a questão da violência nos dias atuais, como ela é normatizada e glamourizada. É um ponto que sempre volto a me questionar, pois sempre vejo ou o lado de pessoas repudiando da violência gratuita, porém consumindo de forma quase sádica (visto as mídias televisivas atuais). Ou então a pessoa cultua ela já como uma forma de escapismo, tentando não pensar muito que caso esses tipos de ações violentas ocorressem (e ocorrem) no mundo atual, quão bárbaro e horrível que seria.

    Como vocês disseram, a mente humana é uma grande caixa de surpresas, e acho que até por trazer essas discussões que obras que retratam psicopatas e sociopatas acabam sendo tão interessantes.

    Um livro/filme que tenho curiosidade de ver, e não sei se vocês conhecem, que é Precisamos Falar sobre Kevin. Pelo que vi a obra retrata bem as patologias do personagem sociopata, e como os pais lidam com esse fato. Ainda não tive oportunidade de ler, mas espero que seja bom.

    E acho que é só. Consumam violência com moderação. Até! 🙂

    • Opa, tudo bom Nicolas? Não conhecia a obra “Precisamos Falar sobre Kevin” e vou procurar tanto o livro quanto o filme. Obrigado por ter comentado cara, até mais!

      • Marcos Dorian Sa

        “Precisamos Falar Sobre Kevin” é fantástico, Rafael… Acho que você vai gostar muito… Quando assisti, fiquei perplexo com a realidade. Várias discussões. Vale até um Cast sobre ele…

    • Guest

      Deixa de ser emo caralho o mundo é violento porra e só os fortes sobrevivem essa geração leita com pera o que o Conan ou Gengis Khan diria provavelmente eles se matariam de desgosto, eu me envergonho com esses homens fracos e essas mulheres vadias e choronas.

      • Marcos Dorian Sa

        As opiniões são válidas… Ainda que opiniões expressas de uma forma tão banal quanto a sua foi; É esperado, de alguém que para para ouvir um Cast de Literatura, um mínimo de capacidade intelectual. No seu caso, obviamente, não há este parâmetro. Infelizmente, a sua participação é condizente com a vergonha que tenho da falta de coragem do brasileiro de falar o que pensa (ou, às vezes, só para se aparecer) sem mostrar a real identidade. Um dia, quando a sua maturidade chegar, terá a força e a hombridade de apertar o botão e falar como você mesmo, sem proteção ou máscaras da Internet.

        Se não respeita a sua própria inteligência, se é que tem, respeite a dignidade das pessoas que ouvem o Cast e comentam por aqui. Resuma-se a sua imprestabilidade como ser humano e guarde as suas opiniões pra você.

        Um grande abraço e um beijo bem gostoso em seu coração…

    • Guest

      Quem tem que ter um auto-controle é você seu baitola e para de ler esses livros de viados do caralho coisa de serial killer é pra emo viado ter suas fantasias já que não consegue matar de verdade por ter medo e ser covarde vão ler literatura de macho porra.

  • Lucas Rafael Ferraz

    Olá amigos!
    Bem legal o cast!

    Gostaria de falar apenas de um personagem que me veio à cabeça como possível psicopata para ter a opinião de vocês, caso já tenham lido todos os livros de Game of Thrones.
    Vou falar dele sem dar spoilers, pois quem leu toda série até agora sabe o nível de filhadaputice desse cara. Falo de Petyr Baelish, o Littlefinger, em português acho que ficou Mindinho.
    Apenas sociopata ou psicopata?

    Pra mim é psicopata dos bons!

    Abraços!

    Lucas Rafael Ferraz, Consultor de TI, 25 anos, Sorocaba SP.

    • Pois é cara, acho que no caso do Mindinho é só filha da putice mesmo. Creio que em Game of Thrones, o único que podemos classificar com certeza como psicopata seria o Joffrey. Até mais e obrigado por comentar!

    • Anna S. Alves

      Oi Lucas! Tudo bem? Você viu um programa que o Jovem Nerd fez falando das tendências dos personagens. Como se fosse personagens de RPG? Achei bem legal e eles falam sobre o Mindinho.
      Acho difícil falar sobre o Mindinho pois eu ainda não entendi muito bem o que ele quer. Parece mais um politico corrupto (só).
      Não li os livros ainda então vou ficar devendo uma análise mais filosófica.

      Abraços!

      • Lucas Rafael Ferraz

        Rafael e Anna, não vou dar spoiler, mas as atitudes dele até o quinto livro me parecem mais do que um político corrupto faria.
        A nao5 ser que fosse um político corrupto psicopata! Heheheheh

        🙂

        • Político corrupto psicopata é uma boa em cara. Pois é, eu ainda estou para finalizar o terceiro então não posso dizer com tanta propriedade. Mas eu digo que ele possa não ser por que em Game of Thrones todo mundo “só quer saber do seu” sabe. Ser fdp é tão normal lá.

  • Dinei Junior

    Dinei Jr.; 25 Anos; Londrina – PR.

    Ótimo cast. Mais um ótimo cast, que mania besta essa de fazer casts de qualidade, fica até repetitivo o elogio.

    Alguém aí já leu “O Perfume”? A obra mostra o sociopata/psicopata (não sei bem) Grenouille (o nome da personagem significa Sapo, em francês e se pronuncia Grenuíe). Por diversos fatores Grenouille vira um assassino em série, seu modus operandi é extrair a fragrância de suas vitimas, principalmente das belas moças ruivas. Caso interesse tem uma adaptação para o cinema que é muito boa, mas o as descrições do mundo olfativo que têm no livro são impossíveis de se por numa tela. Recomendo.

    Desejo tudo de bom pra vocês. Abraço.

    • Opa, tudo bom Dinei? Então cara, eu já assisti o filme e confesso que eu não gostei muito. acredito que o livro deva ser bem superior mesmo, a ideia da obra é bem legal. Até mais e obrigado por comentar.

      • Dinei Junior

        Tudo bem.

        O “Mal” do filme (como adaptação) é não usufruir de uma ferramenta que seja capaz de passar a experiência que há enquanto se lê as descrições do livro, como qualquer filme baseado em livro.

        Até mais.

    • Anna S. Alves

      Confesso que já vi o filme e gostei muito, mas nunca li o livro D:

  • criscat

    Não é q não tenha ficado interessante, mas eu comecei a ouvir realmente esperando que fossem comentar sobre os psicopatas da literatura – que eu adoro – e não passar 2/3 do cast falando sobre psicopatia em si. Só não parei de ouvir pq tive esperança de que em algum momento vcs entregariam o que o título prometia, pena que foi tão pouco.
    abraços
    – Cristine, 44 anos, SP

    • Olá Cristine, tudo bem? A ideia do cast era falar sobre os psicopatas da literatura, mas achamos importante ressaltar a essência dos personagens e o porque deles serem daquele jeito. Talvez futuramente faremos um programa complementar a esse, ok? Até mais e obrigado por comentar.

    • Paulo Viana

      Tive o mesmo sentimento.

  • Felipe Fraga – 19 loucuras – (in)São(no) Paulo

    Fala pessoal, esse lance da violência gratuita acho que se dá, pois geralmente a violência numa obra é feita para chocar, mas como chega uma hora que nos acostumamos com determinado nível de violência, ai o autor/produtor tem aumentar mais ainda, assim como os psicopatas vão mudando gradativamente pois eles tem que estar um passo a frente do espectador/leitor. Também acredito que em livro dá para trabalhar mais esta loucura na cabeça dos personagens.

    Sobre personagens psicopatas: me vieram 2, spoiler para quem não vê Game of Trones faz um tempo: O Bastardo de Bolton que tortura Theon GreyJoy e o mais insano de todos, o Louco da “Turma da Mônica”.

    • É verdade cara, o bastardo do Bolton é com certeza. Se bem que tem aquela coisa dele tentar se provar e tal, mas ele abusa nesse ponto. Até mais e obrigado por ter comentado cara!

    • Não sei não se o Louco chega a ser psicopata, ao menos nunca vi ele matar alguém nos quadrinhos. O máximo que ele faz é deixar o Cebolinha meio esquizofrênico… :p

  • Pingback: LITERÁRIOCAST 51 | Protagonistas de histórias fantásticas – LiterárioCast()

  • Aline Viana

    A protagonista de Misery, do Stephen King, e a Amy do Garota Exemplar, da Gillian Flynn, são assustadoras e olha que eu leio muita literatura policial, rsrsrs Os Bolton que armaram o casamento vermelho em Game of Thrones e outros psychos da saga também são de gelar o coração.
    E eu tenho uma teoria um pouco diferente sobre o consumo de livros policiais cada vez mais “pornográficos” no quesito violência, imagino eu que seja uma forma de superação catártica, você vivencia aquela violência na ficção justamente para te ajudar a lidar, em um ambiente controlado e imaginário, com o excesso de violência que testemunhamos diariamente pelo noticiário e talvez no nosso próprio entorno.
    Enfim, ótimo programa, gente 😉