53 | Bibliotecas do Brasil ao Canadá


Baixar MP3Baixar ZIPAssinar o Feed

 

Neste episódio, Rafael Franças (@literariocast), Larissa Siriani (@LarissaSiriani) e a convidada Ana Paula Calabresi bateram um papo sobre as bibliotecas. A convidada contou um pouco de como são as bibliotecas do Canadá e o porque da quantidade de usuários cair a cada ano.

 

Não deixe de conferir

 

Visitem os links da convidada

Programa comentado na leitura de e-mails

Imagens da Biblioteca Infantil do CCBB no Rio

Pausa Para um Café

Dica da Vez

 

Acompanhe os próximos programas

 

Assine o LiterárioCast no iTuneshttp://itunes.literariocast.com/

Curta nossa Fan Pagewww.facebook.com/literariocast

Nos siga no Twitterhttps://twitter.com/literariocast

Nos siga no Google+https://google.com/+LiterariocastPodcast/

Para críticas e/ou sugestões envie e-mails para: literariocast@pausaparaumcafe.com.br

Feed do LiterárioCasthttp://feeds.feedburner.com/literariocast

Visite nossa página no YouTuner.

Visite nossa página no PodFlix.

  • Lucas Rafael Ferraz

    E ai pessoal!

    Primeiro, estou chateado! Esqueci de comentar no cast anterior! =X
    Enfim, quanto às bibliotecas, sou de uma cidade pequena do interior de SP, a biblioteca existente era bem pobre, mas mesmo assim eu a frequentava desde pequeno, por influência de meu pai, que é um leitor ávido. Na época, era fascinado pela coleção vagalume. Li muita coisa bacana lá.
    Depois disso, sempre estive na biblioteca da minha escola da quarta série até a oitava, que era boa até, e depois na do ensino médio. A do ensino médio era um escola filantrópica grande, então apesar da biblioteca sem pequena, era bem suprida de coisas muito boas. Lá começou minha fascinação pelos livros do Érico Veríssimo, por exemplo.
    Depois disso nunca mais fui à uma biblioteca para ler livros de ficção. Isso porque cursei engenharia numa faculdade apenas de engenharias. Praticamente não tinha acervo de humanas, quanto menos de ficção. Pública também não estive em mais nenhuma. A da minha cidade é bem distante.
    Uma observação quanto ao download ilegal de eBooks, eu adoto a mesmíssima política do Rafael. Não é a mais correta, mas faz me sentir melhor haha. Fato é que eu leio DEMAIS, se fosse comprar tudo viveria embaixo da ponte, mas também não consigo ficar sem ler. Então, cara, o Stephen King, o Bernard Cornwell e tantos outros não sentem nem cócegas…
    Agora, baixar por fora livro nacional, livro do Solano, Novello, Jim Anotsu, Draccon, eu acho um puta sacanagem. Sempre compro, seja físico ou eBook. Recentemente tem sido mais eBook pra não usar todo espaço do pequeno escritório do apartamento, hehehe.

    Ótimo cast!
    Abraços!

    Lucas Rafael Ferraz, Consultor de TI, 25 anos, Sorocaba SP

    • Opa, tudo bom Lucas? Cara, obrigado por contar um pouco sobre as bibliotecas na sua cidade. Eu e a Larissa só comentamos aquelas que nós conhecemos e a minha dúvida depois de postar o programa foi justamente essa: será que isso só acontece aqui? É fato que existem bibliotecas excelentes no Brasil, mas que infelizmente não é acessível a todo mundo. Até mais cara!

  • Bana

    Conheci o LiterárioCast pelo Colorida Vida! <3

    • Nossa, que legal! Tenho que agradecer a Ana Paula então rs

      • Viu só, Rafael? Eu já tinha falado pro mundo inteiro do meu amor pelo Literáriocast! 🙂

  • Luana Araujo

    Bom dia Pessoal!

    Bacana a discussão, é sempre bom falar de bibliotecas e de nossas experiências com as mesmas.
    Estou me formando em Biblioteconomia, e por coincidência meu trabalho de conclusão de curso é sobre bibliotecas públicas, e ao fazê-lo, e ouvindo agora o cast, nota-se como as pessoas ainda tem uma visão deturpada sobre bibliotecas públicas.
    Claro que muita coisa precisa ser melhorado, mas por exemplo moro em São Paulo e é grande o número de bibliotecas e grande também é a variedade de atividades que elas oferecem. As dos bairros tem uma estrutura inferior comparadas com as centrais, mas mesmo assim continuam com muita coisa bacana.
    Acho que o que mais precisa ser mudado é o pensamento das pessoas em relação as bibliotecas públicas de que elas não são, apenas, um lugar para estudo ou como castigo (tive esse pensamento por muitos anos haha)
    Quando as pessoas se dispuserem a ir nas bibliotecas, participar de suas tantas atividades culturais, vão ver quanta coisa mudou!!

    Pra mostrar segue algumas bibliotecas bem interessantes aqui de SP:

    Biblioteca São Paulo (o espaço é incrível e as atividades e serviços tb): http://bibliotecadesaopaulo.org.br/
    Biblioteca Mario de Andrade: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/bma/
    Biblioteca Monteiro Lobato (para crianças): http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/bibliotecas/monteiro_lobato/
    Esse link reúne todas as bibliotecas do Sistema Municipal de SP e as diversas atividades, as Bibliotecas Temáticas são bem bacanas tem de conto de fadas, música, poesia e assim vai: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/bibliotecas/

    Essa fica é Biblioteca Parque Estadual do Rio de Janeiro que tem uma estrutura e serviços bem diferenciado: http://www.bibliotecasparque.rj.gov.br/sample-page-2/espacos/

    Bom é isso, espero que as pessoas frequentem mais as bibliotecas públicas e vejam que muita coisa mudou pra melhor!

    Abraços!

    • Obrigada, Luana, por compartilhar sobre sua experiência e esclarecer-nos sobre a realidade das bibliotecas no Brasil. Eu infelizmente não tinha como comentar esse cenário, mas fico feliz de poder contribuir para a divulgação dos serviços das bibliotecas para os brasileiros!

      Essa biblioteca parque do Rio, se não me engano, é a mesma biblioteca estadual que eu visitei quando era pequena. Sei que eles a reformaram há pouco tempo, e ficou super lindona!

      • Luana Araujo

        Obrigada também Ana por mostrar a realidade do Canadá, já tinha lido um post seu sobre e agora o cast, ambos só agregaram, muito bom! É sempre bom ouvir o que está acontecendo em outros lugares e comparar com o que vivemos aqui. E sem sombras de dúvidas as bibliotecas brasileiras precisam melhorar e muuuito, mas comparando com antigamente é nítida a mudança.

        😉

  • Nicolas Ueda – 20 anos – Curitiba/PR

    E ai pessoal? Tudo bem?

    Gostei muito, muito mesmo dos últimos 2 episódios, sobre professores, e o de bibliotecas. Temas que me fizeram lembrar muito dos tempos do colégio, e também de como está nosso sistema e sociedade hoje em dia.

    Não tenho conhecimento pra dizer algo como professor, ou bibliotecário, mas sim como aluno, e frequentador dos espaços de ensino. Eu cheguei a estudar um pouco na era analógica, e também na digital, e meio que vivi um pouco de ambos os lados. Mas acho que o problema não está em si na tecnologia, mas sim nos princípios éticos das pessoas hoje em dia. Até porque a tecnologia está ai mais para agregar, exceto certos casos, do que para substituir algo, ao menos ao meu ver.

    Vejo que hoje em dia se tem muito pouco respeito, consideração com quem está dando o seu melhor para contribuir ao conhecimento do próximo. E mesmo no papel dos pais, que também deveriam tomar responsabilidade de impôr os limites necessários para os filhos.

    Eu cheguei a conviver muito com pessoas, jovens assim como eu, que realmente não tinham consideração por muito pouco. Seja com os estudos, os professores, seus privilégios e afins. Estudei todo o ensino fundamental em colégio particular, e devo dizer que dá uma certa vergonha de como falta um agradecimento, de ver o ensino como algo bom sabe. Mesmo eu, também já tive momentos assim, mas acho que hoje em dia consigo ver melhor isso. Até por pensar que existem tantos que não tem esse mesmo tipo de oportunidade.

    Mas enfim. Lamentos a parte, mais uma vez vocês estão de parabéns pelos ótimos programas, e pelas ótimas participações também. Continuem assim! 🙂

    Até!

    • Pois é cara, essa falta de limite é um fato. Com relação a era digital, acredito que é uma falha de ambas as partes: a falta de moderação e ética dos alunos que muita das vezes só pensam na vantagem que a Internet pode fornecer, e também o despreparo de alguns colegas professores no sentido de não saber utilizar a tecnologia como benefício ou meio facilitador da aprendizagem e das suas aulas. Enfim… Obrigado por comentar cara! Até mais!

  • Damaris Lobo

    Damaris Lobo, 28 anos, professora, Curitiba

    Olá pessoal, tudo sussi?

    Muito interessante o cast sobre bibliotecas, um dos meus lugares favoritos ever. Quando eu era criança, me escondia na biblioteca pra não fazer as aulas de educação física.Lembro que eu queria pegar livros mais adultos porque os pra minha idade eram muito infantis, mas a tiazinha da biblioteca não deixava. Quanto à questão de se comprar livros ao invés de pegar na biblioteca, pra mim pelo menos é por causa do tempo que se tem pra ler, não consigo ler um livro sob a pressão de ter que devolver ou renovar em tantos dias, muitas vezes paro um livro na metade e depois de um bom tempo retomo a leitura, ou vou lendo bem aos pouquinhos…O livro sendo meu eu levo o tempo que eu quiser para lê-lo. Também faço uma coisa feia que é baixar livros “de grátis” para ler no meu kobo, mas funciona mais como um “test drive”, se eu gostar do livro e ele merecer um lugar na minha estante eu compro a versão física, dessa forma não gasto meu dinheiro comprando livros no escuro arriscando não gostar. Adorei a indicação da série Outlander na dica da vez, estou pirada na série de TV e nos livros, que baixei ilegalmente, mas comprei o primeiro da série e vou comprar os outros, porque definitivamente merecem um lugar na minha estante.

    Tudo de bom, parabéns pelo trabalho e sucesso!

  • Felipe Fraga – 20 códigos de classificação decimal de Dewey – Santo Antro do Saber

    Como o Nicolas Ueda comentou, esse programa combinou com o anterior, acho que o interessante da biblioteca é mais você conhecer livros que você não conhecia e o próprio ambiente, confesso a minha culpa que não dava valor até recentemente e acho que todos nós que ouvimos esse cast vamos dar mais um valor a esse lugar, penso que todos deveriam seguir a regra do Rafael, de ajudar o autor pobre do que os milionários hehe.Até a próxima Litera598.81v.200

  • Ezequias Campos

    Conheci o literario cast por ai, provavelmente alguma indicação de outro podcast de leitura, ou pelo achado pelo Google, um excelente achado!

    Pois bem, sobre o tema, eu passei um tempinho no Canadá este ano e tive a oportunidade de visitar a maravilhosa Toronto Reference Library, e que lugar fantástico! Além de ser gigantesca era extremamente bem acolhedora, e também cheia de atividades.

    Desnecessário dizer que eu estava como uma criança na primeira vez num parque de diversões enorme.

    Quanto aos hábito de leitura, livraria, e-books e coisas do gênero, percebi uma coisa na minha estadia: há uma verdadeira democracia de COMO se lê. Tem gente que vai a biblioteca, gente que compra livro na livraria e gente como eu que usa um leitor de E-books. A conveniência de cada um é que manda.

    Hoje eu não compro mais livros impressos. Eles ocupam espaço e geralmente são mais caros (se você souber a língua da rainha). O problema realmente são os livros nacionais, ai eu fico até com pena de pegar a versão da livraria do Paulo Coelho, principalmente quando são escritores novos.

    Aqui na minha cidade, uma capital, so existe uma boa livraria, mas só isso, boa, não é excelente, e é consideravalmente mais cara do que numa submarino por exemplo, livro é artigo de luxo, e vai continuar a ser enquanto a maioria da população se importa mais com as novelas da globo do que com o próximo livro que vai ler…

  • Ana Lúcia Barros

    Ana Lúcia Barros 29 anos, Salvador/BA, fã de romances, dramas e fantasia.

    Adorei o cast. O meu primeiro contato com bibliotecas foi na escola, quando em um tour por lá fomos apresentados a ela e informados que poderiamos retirar livros na modalidade de empréstimos. Nesta época eu tinha 4 anos. Desde de então, sempre frenquentei bibliotecas nas escolas, porém quando entrei na faculdade expandi para as públicas. E continuei com esse hábito até começar a trabalhar.

    Parei com os emprestimos nas bibliotecas públicas por conta do hórario de expediente versus vida corrida e por conta do meu prazer em sublinhar passagens preferidas (adoooro) e marcar páginas preferidas com post it. Vale informar que estes hábitos só são executados com os meus queridos livos e não de terceiros.

    Beijos e excelente cast.

  • Pingback: LITERÁRIOCAST 54 | Histórias reais de Terror – LiterárioCast()

  • Pingback: Garimpando a rede #14 - Colorida Vida()

  • Pingback: Podcasts para quem gosta de livros | Bibliotecários Sem Fronteiras()

  • Erika Trad

    Conheci o LiterárioCast pelo Colorida Vida!! Sou formada em Biblioteconomia… Adorei ouvir o podcast no Literáriocast com a participação da Ana!! Tive de ouvir duas vezes, pois são muitas informações e na segunda vez peguei até um caderninho para falar tudo o que eu queria Kkk…
    Rafael e Larissa são super simpáticos e engraçados!! Muito legal cada um falar sobre sua experiência na infância com relação á biblioteca!
    Ah! Ainda hoje se utiliza a enciclopédia sim, principalmente nas bibliotecas escolares!
    Poxa, pior que o curso da Biblio é muito “zuado” mesmo, ninguém merece!! As pessoas acham que não fazemos nada, que nossa função é só guardar livros na estante, e há ainda os que não sabem nem da existência do curso, tipo, quando falo que formei, a pessoa pergunta: “Biblio o quê? “, “Mas o que você faz?”, “Você trabalha só em biblioteca? “… É um curso que infelizmente sofre preconceito!
    As bibliotecas daqui também possuem essas mídias para empréstimo, mas nem todas são assim! Quanto aos eventos depende, varia de biblioteca para biblioteca!
    Siimm!! Infelizmente existe este esteriótipo até hoje, mas está sendo mudado pela nova geração de bibliotecários!
    Existem muitos lugares que podemos trabalhar, tem bibliotecária aqui que trabalha na metereologia catalogando nuvem, eu por exemplo trabalho em arquivo (apesar de minha paixão ser a biblioteca). São muitas áreas a se explorar!!
    A Ana defendeu bem nossa profissão!! 🙂
    Verdade, a maioria não sabe para que serve e o que são aqueles códigos na lombada do livro, rsrs…
    Falou bem sobre as matérias que estudamos no nosso curso! Parabéns! Desarticulou bem o assunto!!
    Eu amooo literatura infanto-juvenil!! <3
    O triste é que aqui no Brasil, principalmente nas bibliotecas públicas escolares é que quem faz o papel de bibliotecário são professores que estão cansados de dar aulas ou qualquer outra coisa assim; a Associação dos bibliotecários estão batalhando a favor de leis que obriguem ter pelo menos um bibliotecário em cada biblioteca, (onde moro, em Bh é uma bibliotecária para gerenciar 20 bibliotecas na rede municipal, já nas bibliotecas em escolas particulares tem no mínimo uma)! Aqui o técnico é o auxiliar de biblioteca que em sua maioria possui somente Ensino Médio, que gerencia a biblioteca na falta de um bibliotecário!
    Muito interessante todo o suporte que a biblioteca aí do Canadá oferece aos cidadãos!
    Ao fazer estágio em uma biblioteca em escola particular percebi esta realidade, de ser um local que alunos vão por ser tranquilo para estudar e para fazer trabalhos, mas há exceções, não são todos…
    Muito boa sua explicação da relação biblioteca e internet! Ainda não tive contato com e-books assim, muito emocionante, kkk…
    Siiimm!! Existe até hoje a pastinha de cada professor com os xerox!
    As bibliotecas comunitárias são um exemplo maravilhoso de iniciativa para ajudar as pessoas!!
    Isso mesmo Ana! O problema é a distribuição das bibliotecas, até mesmo dentro das cidades!
    Aqui a biblioteca Pública fica na zona sul, quem mora na zona norte tem que pegar dois, três ônibus para chegar lá, querendo ou não acho que isso pode desanimar as pessoas, e as poucas bibliotecas que tem perto, o acervo é precário.
    Complicado! Boa perguntaa sobre comprar livro ou pegar emprestado!! Porque no meu caso, quando eu era pequena, como não tínhamos condição de comprar livros, minha mãe sempre levava eu e minha irmã para a biblioteca Pública todo final de semana, mas hoje eu compro, não sei o porque, é algo para eu refletir, se por falta de tempo, ou difícil acesso, burocracia, sonho de ter minha própria biblioteca, ou sei lá o que, não vou mais a biblioteca publica… Ah! Verdade!! Os livros são caríssimos!!

  • Pingback: CabulosoCast #131 - Precisamos falar sobre eBooks | Leitor Cabuloso()

  • Sergio Casas

    Putz, meio atrasado (rsrs mais sou ouvinte novato do literáriocast 🙂 acredito que não tenhamos mesmo o hábito de ir as bibliotecas por isso não seja tão frequentadas e por isso não tenhamos tantas. Talvez por isso quem lê desenvolveu o hábito de frequentar livrarias, até mesmo por ter uma maior qtd de livrarias. A ponto q conheci uma amiga q desenvolveu o hábito de ir a uma livraria consultar livros, sentava no chão com o livro aberto e lia. Ha tb o fato de embora uma livraria ainda sim é uma loja, por isso tem uma equipe de marketing por trás.
    Já eu confesso q adoro frequentar “cafés literários” onde posso tomar um café acompanhado de uma boa leitura como tem algumas em botafogo no rio de janeiro.
    Agora devo agradecer profundamente sobre a dica da biblioteca no BB pois não fazia a mínima ideia da existência dela. Mesmo frequentando desde da minha infância o CCBB. Mas uma boa comparação vc poderia ter se fosse comparar uma livraria do centro com a biblioteca nacional. Pois esta mais visível assim como a maioria das livrarias do centro.

    fantástico post e maravilhosa entrevista.

    • Opa, tudo bem Sergio? Obrigado por ouvir e deixar a sua opinião! E seja bem vindo! rs
      Até mais!

  • Pingback: LITERÁRIOCAST 100 | E o programa é… | LiterárioCast()